ROPA-DE-TRABAJO-UNIBRAND

 

A parashá Tezave começa com um fato interessante. Desde Shemot até Zot Haberachá, está é a única parashá na qual não é citado o nome de Moshe. Segundo o Zohar Hakadosh[1] isso se deu em castigo por haver dito: “e se não, que apagues meu nome de teu livro que escrevistes”[2]. Isso nos ensina duas coisas: 1. que devemos ter cuidado com o que falamos; e 2. que as maldições de um tzadik são atendidas, ainda que contra ele mesmo.

Muitos temas são abordados em Tetzave, entre eles: o óleo da unção, a santificação do Mishkan, dos cohanim, do altar, a presença da shechiná e o altar de ouro. Porém a parashá dedica muitos pasukim para falar das roupas dos sacerdotes.Cafe

Acesse a página CafeRambam.com

A roupa na Torá e no Tanach são citadas em diversas ocasiões e em todas elas aparecem carregadas de significado. Podemos citar a primeira menção ainda no Jardim do Éden quando após Adam e Hava comerem do fruto do conhecimento perceberem que estavam nus e que buscaram folhas de figueira para se cobrirem[3]. Outro episódio famoso foi o da ascensão de Eliyahu que ao subir deixou para traz suas vestes; Elisha, que pedira porção dobrada de seu poder, operou milagres com sua capa[4].

No tangente aos cohanim as roupas têm um papel importante. Nos diz a Torá: “e farás roupas santas para Arão teu irmão para honra e esplendor… e farão as roupas de Arão para santificá-lo e para ordená-lo para mim”[5]. Vemos no mikra quatro finalidades para as roupas sacerdotais: honra, esplendor[6], santidade e ordenação (nomeação e identificação como sacerdote). Trazem os sábios uma quinta finalidade para as vestes dos cohanim. Qual seria?

As vestes têm como função inicial nos diferenciar das demais criaturas. Somente a partir do momento que o homem adquire o conhecimento do que é certo e errado é que passa a sentir a necessidade de cobrir sua nudez. A racionalidade dos diferencia dos demais seres e nos dá o poder de julgar. As vestem foram o primeiro sinal de racionalidade e por elas a humanidade passava a ser visualmente diferente das demais criaturas.

Pelas roupas nos identificamos, delegamos funções e reconhecemos autoridades. Também por elas nos destacamos na sociedade e até mesmo manifestamos nossos ideais. No judaísmo as vestes de um judeu têm a função de nos ensinar os valores de recato e temor a D’us. Todo o tempo que cobrimos nossas cabeças estamos reconhecendo a soberania de D’us sobre nós[7].

Aos Sacerdotes além de abarcar todos esses conceitos suas roupas têm uma função especial. Questiona a Guemará[8] “porque a seção dos sacrifícios está ao lado da seção das roupas dos sacerdotes? Para te ensinar que o que expia um sacrifício também expia as roupas sacerdotais”. Nos ensinam os sábios que as roupas em si têm a função de expiar pecados!

Obviamente não precisamos entender de forma literal, mas saber que as intenções dos sacerdotes ao vestirem suas roupas de seu serviço santo entram em sincronia com sua função. Explicam chazal que as oito vestes do Cohen expiam oito classes de pecados:cohen

  1. Túnica – expia o assassinato
  2. Calças – expia as relações proibidas
  3. Turbante – expia a vulgaridade
  4. Faixa (cinturão) – expia os desejos do coração
  5. Peitoral – expia os juízes
  6. Avental – expia a idolatria
  7. Manto – expia o Lashon hará
  8. Tiara[9] – expia a falta de respeito

A cada peça de roupa que o Cohen veste ele deve ter em mente que sua função é a de representar todo Am Israel e assim expiar todos seus pecados. Recai também sobre nós um pouco dessa responsabilidade dos cohanim, afinal, todo Israel foi chamado para ser goy kadosh vemamlechet cohanim. Assim quando nos vestimos pela manhã recitamos a berachá malbish arumim (que veste os desnudos), pois Hashem nos deu a consciência de nossa responsabilidade e a capacidade de vestirmos (assumirmos) nossa responsabilidade como servos de Hashem, como cidadãos, como pais, como trabalhadores e como líderes comunitários.

Que por meio de nossas vestes possamos ser exemplo para os demais e fonte de boa influência para conduzir a todos os que nos vê em direção ao Criador.

Shabat Shalom!


[1] Zohar, Pinchas 246a

[2] Shemot 32:32

[3] Bereshit 3:7

[4] Melachim 2 2:8

[5] Shemot 28:2-3

[6] Formosura, segundo a versão da Torá Ed. Sefer

[7] Shulchan Aruch 2:6; Talmud Bavli Shabat 118b

[8] Zevachim 68b; Arachin 16a

[9] Lâmina de Santidade, segundo a versão da Torá Ed. Sefer

http://portaljudaico.com.br/vendoo/uploads/2018/02/mikdash5_i.jpghttp://portaljudaico.com.br/vendoo/uploads/2018/02/mikdash5_i.jpgKaleb LustosaPARASHÁ DA SEMANACohanim,expiação,moda,parasha da semana,pecado,roupas,Sacerdotes,sacrifício,Santidade,Tetzave,vestes  A parashá Tezave começa com um fato interessante. Desde Shemot até Zot Haberachá, está é a única parashá na qual não é citado o nome de Moshe. Segundo o Zohar Hakadosh isso se deu em castigo por haver dito: “e se não, que apagues meu nome de teu livro...Comunidade Judaica Paulistana