Quarta-feira, dia 12 de outubro, é Yom Kipur, o Dia do Perdão. Talvez um dos dias mais conhecidos pelos judeus e não judeus a respeito de nossa religião. É “aquele dia do jejum”. Mesmo os judeus mais afastados costumam ir à Sinagoga nesse dia, jejuam e não vão trabalhar.

Acabamos de sair de Rosh Hashaná, nosso Ano Novo e já temos que nos preparar para Yom Kipur? Sim, CLARO!

Se você está acompanhando meus artigos aqui no Portal judaico, já sabe que nosso Ano Novo é um pouco diferente do que a maioria das pessoas do mundo. Nós não pulamos sete ondinhas, não nos vestimos de branco, não festejamos com rojões. Nosso “ano novo” foi um dia de julgamento, onde foi decretado tudo o que irá acontecer nesse ano novo, para TODA a população mundial, não apenas para os judeus. Saúde, sustento, paz, alegrias ou, D-us nos livre, o contrário disso. Tudo foi decretado no dia de Rosh Hashaná.

Então, se já está tudo decretado, por que existe Yom Kipur? Para que temos esses 10 dias de Arrependimento, entre Rosh Hashaná e Yom Kipur, para nos arrepender e corrigir nossas ações? Afinal, se já está tudo decretado….

Bom, para falar sobre o conceito de Teshuvá (retorno, arrependimento) existem dezenas e dezenas de livros. Quem sabe um dia você não se aprofunde no assunto?

O único pequeno ponto que vou falar eu ouvi do Rav Dayan muitos, muitos anos atrás, quando eu deveria ter por volta de 15, 20 anos e não tinha a mínima ideia que eu mesmo iria fazer Teshuvá e ficar religioso. Disse ele, em um Yom Kipur:

“Em Rosh Hashaná, D-us pesou as balanças de cada um de nós. Aqueles que tinham mais boas ações (mitsvót) foram inscritos no Livro da Vida. Aqueles que, ao contrário, tinham mais más ações (haverot), foram inscritos no outro livro, chas veshalom.

E então, para que existe Yom Kipur? Para aqueles que estão “empatados”! Aqueles que estão com as balanças equilibradas tem esses 10 dias e Yom Kipur para pender a balança pro lado do Bem!

Agora, como nós não sabemos a “contabilidade” de D-us, onde uma mitsvá pode valer por muitas haverót e vice-versa, quem é que vai querer confiar que já “passou de ano”? Por isso, todos jejuam e se arrependem, para poderem ser carimbados definitivamente no Livro da Vida.”

Apesar de ainda ter demorado muitos anos para eu começar a ficar religioso, essa explicação do Rav Dayan nunca me saiu da cabeça.

E, afinal, quais são as obrigações de Yom Kipur?

Bom, como todas nossas festas, esse dia tão sagrado começa ao pôr-do-sol do dia anterior. Assim, nesse ano, Yom Kipur começa ao pôr-do-sol de terça-feira, dia 11 de outubro. Um pouco antes desse horário, já começa a vigorar o jejum (procure seu rabino, sua comunidade ou me mande um e-mail para saber os horários corretos em sua cidade).

Yom Kipur é Shabat Shabaton, portanto tem todas as proibições normais do Shabat. Além disso, tem as suas leis específicas que, basicamente, são:

– Proibido comer ou beber (por aproximadamente 25 horas)

– Proibido tomar banho

– Proibido se untar ou utilizar qualquer cosmético

– Proibido ter relações matrimoniais

– Proibido calçar sapatos de couro

Procure sua sinagoga, vá para as rezas (a pé), participe da santidade desse dia, cumpra suas obrigações e você estará dando o passo definitivo para pender a balança para o lado do bem. E que, pelo mérito desse esforço, você possa ter um ano novo realmente bom e doce, com saúde, sustento, paz e alegrias.

Gmar Chatimá Tová!

Beto Leon

 

—————————————————————————————————————
Nessa coluna tentarei divulgar mitsvót, halachot e suas explicações e ajudar cada judeu a cumprir mais uma mitsvá. Mandem sugestões de temas, perguntas e críticas. Ajudem a fazer uma coluna bacana para todos !

Abraços e até a próxima,
Roberto (Beto) Leon

http://portaljudaico.com.br/vendoo/uploads/2016/10/YomKippur-1024x676.jpghttp://portaljudaico.com.br/vendoo/uploads/2016/10/YomKippur-150x150.jpgRoberto LeonMITSVOT/HALACHOTRELIGIÃOQuarta-feira, dia 12 de outubro, é Yom Kipur, o Dia do Perdão. Talvez um dos dias mais conhecidos pelos judeus e não judeus a respeito de nossa religião. É “aquele dia do jejum”. Mesmo os judeus mais afastados costumam ir à Sinagoga nesse dia, jejuam e não vão trabalhar. Acabamos...Comunidade Judaica Paulistana