1- Faça uma breve descrição do seu histórico e experiência de vida.
Tenho 45 anos, sou advogada, paulistana, solteira. Estudei na Escola Morumbi, Pueri Domus, Gávea e Objetivo. Me formei na UNIP. Atualmente estou entregando a minha tese de mestrado em Direito dos Negócios que cursei na Fundação Getúlio Vargas, com a defesa ainda no mês de setembro. Desde sempre gostei de trabalhar. Tive alguns trabalhos de menor porte: na época da escola trabalhei com meu pai na Durocrin, fui produtora fotográfica, tive uma loja em shopping popular, e ocupei um cargo em comissão na Prefeitura por 2 meses. Logo que entrei na faculdade, e antes do inicio das aulas, comecei a trabalhar com o Dr. Manuel Alceu Affonso Ferreira, minha escola de ética, seriedade e comprometimento.

Após 10 anos, aceitei um desafio para trabalhar no mercado corporativo. Foi quando assumi o departamento jurídico da Agra Incorporadora, onde permaneci por pouco mais de 10 anos. Durante esse período, a empresa foi reconhecida no mercado imobiliário pela realização de grandes operações estratégicas e empreendedorismo, tendo aberto o capital na Bolsa de Valores, e feito operações de fusão e aquisição de grande porte. Minha mãe morava em Paris e ficou doente em janeiro de 2011. Nesse mesmo ano a Agra, que passou a chamar Agre, fez uma operação de incorporação de ações e passou a pertencer a outro grupo econômico. Também em 2011 eu fiz 40 anos, idade em que normalmente realizamos um balanço pessoal de vida, e resolvi me desligar da empresa e ficar um período com a minha mãe, até o “fim”.

Voltamos em outubro de 2011, e depois de um curto período para colocar tudo em ordem, resolvi  abrir meu próprio escritório. Hoje presto consultoria na área corporativa, sendo diretora jurídica de empresas do mercado imobiliário. Sou inteiramente comprometida com as minhas atividades pessoais e profissionais, sem medo de enfrentar desafios, e sempre à procura deles.

2- Qual sua relação com a Comunidade Judaica?
Minha família sempre foi muito participativa na comunidade, através de atividades na coletividade, seguindo as tradições e realizando as festividades em família. Meus avós Mauricio e Pepka Dangot são fundadores da Hebraica. Meu tio Aron David fundou a sinagoga da Penha, e em homenagem a ele tem uma Torah na sinagoga do Colégio Renascença. Meu tio José David foi presidente do Macabi, diretor da Hebraica, e sempre participou ativamente dos órgãos da coletividade. Minha família frequenta a Beit Chabad Central e Itaim. Meus sobrinhos fizeram o Bar Mitzvah em Israel. Embora nunca tenha frequentado escola judaica, tenho grandes amigos da comunidade, e sempre me interessei  e fiz questão de cumprir os preceitos da religião e das festividades. Estudo Kabbalah há 15 anos. Acendo as velas de Shabat, escuto a leitura da Torah.

Estudo e me interesso pelo significado de cada Parashah, sempre com o objetivo de buscar entender o verdadeiro significado da religião e suas tradições, e  aprofundar meu conhecimento, relacionando esses ensinamentos com a forma de viver e de encarar cada um dos acontecimentos da vida. Desde aqueles aparentemente insignificantes, até aqueles inquestionavelmente desafiadores. Fiz repetidas viagens para Israel com o objetivo de visitar Tzadikins, os patriarcas e as matriarcas. Para mim Israel é um porto seguro. Visitei a Polônia para conhecer a cidade de onde vieram os meus avós, e a Ucrânia, exclusivamente para conhecer e passar um Shabat na cidade onde viveu Baal Shem Tov. O estudo, as viagens, os relacionamentos, as experiências e os desafios diários são algumas das formas que encontrei para me conectar com a minha essência e me dedicar a ser uma pessoa melhor, a cada dia.

3- Quais os projetos direcionados à nossa comunidade?
Primeiramente, acho essencial que qualquer representatividade, não exclusivamente da comunidade, como da população, seja feita através de um canal que represente os seus valores. Ou, na prática, não será possível exercer esses valores verdadeiramente. Pela primeira vez, desde que passei a acompanhar o cenário politico brasileiro, entendo que esse canal existe, através do surgimento e registro do Partido NOVO. Antes disso, jamais pensei na possibilidade de fazer parte do quadro politico do país. Mas agora me sinto representada por ele, e quero fazer parte da história de mudança POSITIVA na forma de se praticar e exercer a politica.

Nessa linha de pensamento, entendo que, sendo eleita, tenho condições de, positivamente, dar atenção à comunidade, que, sem duvida, é parte significativa da população paulistana, com enorme representatividade nos setores sociais, produtivos e intelectuais.

Para tanto, irei cuidar para que a Guarda Civil Metropolitana confira maior segurança aos espaços de convivência da comunidade (Sinagogas, escolas, entre outros); trabalharei pela inclusão e atenção às datas das festividades e comemorações de datas significativas na grade curricular das escolas da cidade, promovendo debates e homenagens sobre temas relevantes e que afetam a vida passada e futura das famílias judaicas. Ainda, acredito ser importante assegurar a verdadeira participação da comunidade na política municipal, abrindo canais de diálogo e fortalecendo essa relação.

4- Quais os projetos direcionados à comunidade maior?
Trabalharei por medidas que combatam o desperdício e os privilégios, e na redução dos gastos públicos, adotando de imediato um corte de 50% nas verbas do meu próprio gabinete, e iniciando uma luta para que todos façam o mesmo, demonstrando que é possível fazer mais com menos. Além disso, meu voto e minha atuação sempre serão contra a criação de novas taxas, que exploram o contribuinte, sem dar nada em troca, e pela redução de impostos e burocracias desnecessárias que asfixiam o empreendedorismo.

Eu e o NOVO somos contra o uso do Fundo Partidário, o dinheiro publico usado para financiar os partidos, principalmente nas campanhas eleitorais. Sabemos que não existe dinheiro do governo, mas sim o nosso dinheiro na forma de impostos. Portanto, defendo que os escassos recursos municipais devem ser utilizados de forma eficiente, com gestão, estabelecimento de metas e análise de resultados, em áreas essenciais para que todos tenham uma vida digna, como saúde, segurança e educação.

5- Qual sua posição em relação ao momento atual da política no Brasil e como você acha que afeta a nossa comunidade?
Atualmente, vivemos uma grave crise econômica e de valores no nosso país, reflexo da incapacidade de nossa classe politica em dar soluções para os principais desafios da sociedade. Isto porque, existe uma visão equivocada sobre a verdadeira função do cargo politico no Brasil, que acaba se valendo da sua função para ocupar uma posição de poder, e não para servir à sociedade, sua principal função. Diante desse cenário, constatei que muitas pessoas, que sempre se dedicaram ao empreendedorismo, através do seu trabalho pessoal em todos os setores produtivos, deixaram de acreditar que é possível resgatar o país desse cenário.

Um dos meus principais objetivos é iniciar esse processo de reconstrução, através de um partido politico que tem como um dos seus principais objetivos o de melhorar a vida das pessoas, incentivando a capacidade produtiva de cada um, independente da sua atividade, e investindo na cidade e população paulistana. Estancar esse movimento de desesperança, criando condições para que as pessoas não desistam de acreditar que vale a pena trabalhar, pagar seus impostos e viver em São Paulo, uma cidade que ajudaram a construir, e onde querem continuar construindo sua história.

Facebook do Candidato: Samantha Dangot

http://portaljudaico.com.br/vendoo/uploads/2016/09/14237582_1781719788732814_7123494199535406744_n.jpghttp://portaljudaico.com.br/vendoo/uploads/2016/09/14237582_1781719788732814_7123494199535406744_n-150x150.jpgexibooESPECIAL ELEIÇÕES 20161- Faça uma breve descrição do seu histórico e experiência de vida. Tenho 45 anos, sou advogada, paulistana, solteira. Estudei na Escola Morumbi, Pueri Domus, Gávea e Objetivo. Me formei na UNIP. Atualmente estou entregando a minha tese de mestrado em Direito dos Negócios que cursei na Fundação Getúlio Vargas,...Comunidade Judaica Paulistana