Esther_crowned

Festejamos ontem e hoje pelo dia todo, com a graça de D”us, mais um Purim, agora estamos há exatas quatro semanas para Pessach, que venha em Paz!!! Todo ano nesta data, nos alegramos com amigos e parentes, dançamos, cantamos, comemos e ouvimos a leitura da ”Meguilat Ester” ou ”Pergaminho de Ester”, que nos conta todo lance da história cercada de conspirações palacianas na corte real Persa que quase resultou na completa destruição de nosso Povo, MAS foi ”tudo ao contrário”: nossos inimigos foram destruídos e a salvação com festa tomou lugar do choro e sofrimento.

A história de Purim é basicamente em torno de uma grande judia: a Rainha Ester, é dela que falaremos um pouco agora! Vamos para a antiga Pérsia, há exatos 2500 anos atrás.

A heroína do livro, chamada Ester , é uma jovem judia que vive no exílio persa, que através de sua juventude e beleza se torna a rainha do Império Persa e, em seguida, por sua inteligência e coragem salva o povo judeu da destruição. A mensagem do Livro de Ester, dá encorajamento aos judeus exilados  de que eles, embora impotentes no Império Persa, podem, com sua Fé e talentos, não só sobreviver, mas prosperar, como faz Ester.

Ester aparece pela primeira vez na história como uma das jovens virgens recolhidas no harém do rei como possíveis substituições de Vashti ,( que era a neta do Rei Nevuchadnetzar ou Nabucodonosor, que destruiu o Templo Sagrado em Jerusalém e levou o Povo Judeu exilado para Babilônia 70 anos antes) a esposa banida do rei Achashverosh ou Assuero (Xerxes I, reinou 485-465 AEC ). Ela é identificada como a filha de Avichail (Es 2:15) e a prima e filha adotiva de Mordechai Ben Kish A”H, da tribo de Benjamim (Es 2: 5-7) que era um dos 70 Sábios do San’hedrin (Sinédrio) e líder do Povo de Israel no exílio. Não muito é revelado sobre seu caráter, mas ela é descrita como bela (2: 7) e obediente (2:10), e ela parece ser flexível e cooperativa. Ela rapidamente ganha o favor do eunuco chefe, Hagai, e, quando sua vez vem passar a noite de núpcias com o rei, Assuero se apaixona por ela e faz dela sua rainha. Tudo isso acontece enquanto Ester mantém sua identidade judaica secreta (Es 2:10, 20).

Depois de Ester tornar-se rainha, seu primo Mordechai se envolve em uma luta de poder com o grande vizir Haman, o Agagita, descendente de um rei amalecita inimigo de Israel durante o tempo do Rei Shaul A”H (1Sm 15:32). Mordechai se recusa a se curvar diante de Haman, e isso enfurece tanto Haman que ele resolve não apenas matar Mordechai, mas também matar todo o seu povo.Ele garante a permissão do rei para fazer isso, e uma data é definida, 13 de Adar (este episódio determina a data do festival de Purim). Quando Mordechai  soube da trama de Haman, ele corre para o palácio para informar Ester, chorando e vestida de saco (Es 4: 1-3).

Neste ponto da história, o personagem de Ester vem à tona. Quando ela descobre pela primeira vez a trama de Haman e a ameaça aos judeus, sua reação é de desamparo. Ela não pode se aproximar do rei sem ser convocada, sob pena de morte, e o rei não a convocou em trinta dias, implicando que ela caiu em desgraça (Es 4:11). No entanto, seguindo o insistente Mordechai, ela resolve fazer o que puder para salvar o seu povo, terminando com a declaração de toque “Depois disso vou para o rei, embora seja contra a lei; E se perecer, perecerei “(Es 4:16). A flexível e obediente Ester tornou-se uma mulher de ação. Ela convoca solenemente todo Povo Judeu fazer um Tzom, um jejum penitencial, de três dias, que foram os exatos dias de 12,13 e 14 de Nissan, ou seja, naquele fatídico ano do mau decreto de extermínio do Povo Judeu, nossos pais NÃO comeram o Seder de Pessach, mas fizeram jejum com Selichot para o mau decreto ser revogado no Alto.

Ela,enfraquecida pelo jejum de 72 horas, se apronta com suas vestes reais e jóias, aparece sem comparecer perante o rei Assuero, que não só  a absolve, mas promete conceder-lhe o pedido (o texto de toda Meguilá aqui, como em todo, não menciona o Nome de D’us, mas a providência de Deus está claramente no fundo). Em um momento soberbo de subavaliação, Ester pede ao rei para um jantar (Es 5: 4)!

O rei, acompanhado por Haman, assiste ao banquete de Ester e procura novamente descobrir seu pedido, que ela mais uma vez desvia com um convite para outro jantar.Só no segundo jantar, quando o rei está suficientemente adocicado pelos seus encantos, ela revela seu verdadeiro propósito: o desmascaramento de Haman e sua trama. Ela revela, pela primeira vez, sua identidade como judia e acusa Haman do plano de destruir ela e seu povo. O rei parte para a defesa da mulher a quem ele foi indiferente três dias antes, Haman é executado, e os judeus recebem permissão para se defender de seus inimigos, o que eles fazem com grande sucesso (Ester 7-9). O livro termina com Mordechai elevado ao cargo de Grão Vizir e poder agora concentrado nas mãos de Ester.

O propósito do Livro de Ester é demonstrar aos judeus que vivem no exílio que é possível alcançar  sucesso no país do seu exílio sem renunciar à sua identidade como Judeu. Nisto, o Livro de Ester é semelhante a livros como Daniel e Tobit, ou, de fato, ao personagem histórico Nehemiá. No entanto, o Livro de Ester é único em dois aspectos importantes. Em primeiro lugar, a protagonista do livro, e com quem o público deve identificar, é uma mulher, Ester (Mordechai é, naturalmente, o outro personagem principal e termina a história em uma classificação muito alta, mas isso é basicamente por causa de Sua relação com, e através dos esforços de Esther).

Esta escolha de um heroína serve uma função importante na história. As mulheres eram, no mundo da diáspora persa, como em muitas outras culturas, essencialmente membros impotentes e marginalizados da sociedade. Mesmo que pertencessem à cultura dominante, não poderiam simplesmente alcançar e agarrar o poder, como um homem poderia; Qualquer poder que pudessem obter foi obtido através da manipulação dos detentores públicos de poder, os homens.

Nesse sentido, o judeu exilado podia se identificar com a mulher: ele também era essencialmente impotente e marginalizado, e o poder só podia ser obtido através dos seus talentos e habilidades. Mas, como demonstram as ações de Ester, isso pode ser feito. Ester salva o seu povo, provoca a queda do seu inimigo e eleva o seu parente à posição mais elevada do reino, usando a sua beleza, encanto e inteligência política, e assumindo um risco bem posto. Ester torna-se o modelo para o judeu que vive no exílio.

O caráter de Ester serve como um modelo positivo para as mulheres judias e homens judeus que vivem na diáspora, tanto na época em que o livro foi escrito quanto nos séculos até os dias atuais. A contemporaneidade da mensagem ajuda a explicar a popularidade duradoura do livro, e a própria Ester, na comunidade judaica.

Segundo nossa Tradição, a Rainha Ester A”H ZY”A faleceu aos 25 de Nissan, sendo enterrada ao lado de seu primo, Mordechai A”H ZY”A, em Hamedan, no Irã,  próximo a antiga cidade de Shushan, a capital persa.

Esther and Mordechai 1 tombs
Interior da Tumba de Ester e Mordechai A”H em Hamedan, Irã.

Ainda hoje, mesmo sob domínio de um regime islâmico tirânico ( herdeiro de Haman ”Imach shemo”) é possível sob autorização, visitar seu túmulo sagrado.

Que os méritos sagrados de Nossa Rainha Ester A”H ZY”A protejam o Povo de Israel, trazendo mais e mais salvações até a chegada e revelação do Justo Redentor, Mashiach, AMÉN!!!!

 

http://portaljudaico.com.br/vendoo/uploads/2017/03/Esther_crowned.jpghttp://portaljudaico.com.br/vendoo/uploads/2017/03/Esther_crowned-150x150.jpgDiogo Hara ClaroMULHERES DO TANACHRELIGIÃOEster,Esther,Irã,Mordechai,Mulheres Bíblicas,Mulheres do Tanach,Purim,TanachFestejamos ontem e hoje pelo dia todo, com a graça de D''us, mais um Purim, agora estamos há exatas quatro semanas para Pessach, que venha em Paz!!! Todo ano nesta data, nos alegramos com amigos e parentes, dançamos, cantamos, comemos e ouvimos a leitura da ''Meguilat Ester'' ou ''Pergaminho...Comunidade Judaica Paulistana