Tornar-se um cidadão israelense… Como é? Fácil? Tranquilo?
Bom… quem disser que é tranquilo está mentindo.
A partir do momento que você toma a decisão de vir para cá, mudar todo o rumo da sua vida, começa o comichão na barriga.
14876351_1301666329866410_1119608896_oDúvidas, medos, ansiedades, questionamentos mil… muitas horas de sono perdidas…
Sair de sua zona de conforto significa abrir mão de muitas coisas, significa aprender a praticar o desapego, significa ter que entender melhor o tamanho da palavra saudade, daquela que pega fundo no coração em muitos e muitos momentos.
Mas… por outro lado, significa renovar seus caminhos, construir novos horizontes, significa amadurecer, mergulhar num mundo novo, ser uma nova pessoa.
Eu lembro que quando estava já com tudo marcado, ia passeando por São Paulo e olhava prá cada lugar com clima de despedida… tipo… aqui vai demorar prá eu voltar. Isso dava uma mistura de frio na alma junto com um aquecimento no coração diante das novas perspectivas.
Sensações que só quem passa entende.
E como acontece?
Depois que você passa por todos os trâmites de documentação exigida, a passagem é marcada e aí o bicho pega.
Começar a ver o que levar, o que deixar…Sim, pois temos um limite de kilos para levar e aí a coisa começa a complicar. Imagina você juntar toda uma vida em 64 kg ou duas malas de 32 kg?
Coisas que não tem como trazer no avião, muitos enviam por navio, por correio, mas isso tem um custo alto e nem todos podem ou querem encarar.
Uma movimentação muito grande acontece dentro da gente, mas é estimulante, inebriante, devastador, apaixonante.
E chega o grande dia… o dia da despedida. Essa parte é muuuuito difícil.
Lágrimas incontidas rolam o tempo todo…
Mas… tem o portão de embarque e a partir de lá, você não está mais no Brasil. UFA!!!
As lágrimas vão secando aos poucos e o caminho ao novo destino começa com toda força. Coração apertado, mas confiante no futuro.
Simmm!!!! Você está se dando uma nova chance, uma nova experiência de vida!!!
Depois de horas de viagem, chega no aeroporto Ben Gurion.
Os imigrantes novos são levados a um escritório onde precisam fazer toda documentação para entrar no país.
ieruVocê sai de lá com sua identidade de cidadão israelense, sai já com um plano de saúde definido, e lá você pode se quiser, até mudar de nome.
Aí vai da cabeça de cada um. Eu pessoalmente não optei por isso.
Depois de lá, as pessoas saem do aeroporto e vão para o táxi que vai levar para onde foi determinado….ou casa de alguém ou a um centro de absorção.
Eu fui para a casa da minha filha há 4 anos atrás. E uma semana depois que cheguei, soube que iria ser avó pela primeira vez. Um presente de Deus.
Mas, muitos vão para os centros de absorção e podem ficar neles por até 6 meses.
Recebem também do governo, um valor simbólico em dinheiro e 6 meses de curso de hebraico gratuito.
O país é totalmente paternalista. Que país que vai te dar moradia e te dar uma quantia e um curso da língua local ?
Pois é… Mas para isso você precisa ter as exigências que eles pedem para poder ser um novo imigrante.
Infelizmente nem todos podem receber estes direitos.
A princípio, o governo do Estado de Israel facilita a vida do cidadão que é judeu por parte de pai e mãe ou que tenha descendência judaica comprovada ou que seja casado(a) com um judeu ou uma judia. Caso contrário, seria com conversão aceita aqui ou autorização por trabalho.
Mas você tem que dar muito de si para ter uma vida com dignidade. Complicado? Sim. Mas gratificante.
Enfim…você chegou à Terra prometida e agora vai ver se aqui realmente é a Terra do leite e do mel.
Continuamos na próxima semana essa nossa aventura…

http://portaljudaico.com.br/vendoo/uploads/2016/10/aliah.jpghttp://portaljudaico.com.br/vendoo/uploads/2016/10/aliah-150x150.jpgSheila BrombergECOS DE ISRAELISRAELAliá,aliah,IsraelTornar-se um cidadão israelense... Como é? Fácil? Tranquilo? Bom... quem disser que é tranquilo está mentindo. A partir do momento que você toma a decisão de vir para cá, mudar todo o rumo da sua vida, começa o comichão na barriga. Dúvidas, medos, ansiedades, questionamentos mil... muitas horas de sono perdidas... Sair de...Comunidade Judaica Paulistana