O futebol como outros esportes precisa de inovação, de alegria, de reformulação. Sair da mesmice é algo que no primeiro momento é impactante, porém necessário.
Esqueça a tradição. Esqueça as listras, as faixas ou outros elementos recorrentes em camisas de futebol. Na Espanha, a moda agora é produzir uniformes com uma lista mais inusitada de ingredientes: brócolis, presuntos, azeitonas, lagostas, músculos, gravata borboleta e personagens do escritor Miguel de Cervantes, por exemplo.
Tudo começou com brócolis. Um time chamado La Hoya Lorca, atualmente denominado Lorca FC, buscava em 2013 uma maneira de aumentar a visibilidade de seus patrocinadores, que eram produtores do vegetal e pediram a criação de uma camisa reserva na cor verde.
“Foi um pedido dos patrocinadores. Decidimos preparar uma surpresa e fizemos um uniforme com estampa de brócolis”, disse Julián David Ponce, que trabalha no departamento de desenho da Daen Sport, ao jornal espanhol “ABC”.
A Daen Sport foi a empresa responsável pelo uniforme do Lorca. E o resultado foi surpreendente até para os donos da ideia: as vendas da “camisa brócolis” explodiram, movimentaram colecionadores do mundo todo e deram retorno imediato ao patrocinador que só queria um visual que remetesse ao alimento.
Some esse retorno a uma evolução nas impressoras de estampas, e pronto: os uniformes com desenhos tão grandes quanto inusitados foram paulatinamente ganhando popularidade na Espanha. A própria Daen Sport, baseada em Lorca, percebeu essa lacuna de mercado e investiu na produção desse tipo de peça.
Em 2015, por exemplo, a Daen fez um uniforme para o Caravaca cuja estampa era baseada em festas locais. Depois, criou para o RSD Alcalá uma camisa com desenho inspirado no escritor Miguel de Cervantes, autor de Don Quixote, com desenho feito por um cartunista.
Desde então, a lista só cresceu. O Loja CD lançou neste ano um uniforme com estampas de lagostas, por exemplo. O Atlético Tordesillas apostou num desenho relacionado a touradas. O Cultural Leonesa apostou num visual que emula um smoking, e o Palencia copiou o design dos músculos do torso. O próprio Lorca produziu outros modelos baseados em brócolis.

Até o Brasil entrou na dança. O Fortaleza lançou um uniforme especial para a disputa da Copa do Nordeste de 2017. Assim como os times espanhóis, o visual é baseado na cultura local – no caso dos cearenses, a literatura de cordel. O desenho é menos chamativo, mas igualmente diferente das peças mais tradicionais
.
Guardada as devidas proporções, o time do Íbis que é rotulado como o pior time do mundo é um dos recordistas em vendas de camisas no mundo justamente com este chavão.

Vai que a moda pega e um time brasileiro resolva estampar na sua camisa algum vegetal. Qual será o retorno, sua visibilidade vai aumentar? 
Bom apetite, quer dizer,bom dia  a todos e até a próxima

http://portaljudaico.com.br/vendoo/uploads/2017/02/uniforme-2.jpghttp://portaljudaico.com.br/vendoo/uploads/2017/02/uniforme-2-150x150.jpgMarcos FarberMARKETING ESPORTIVOO futebol como outros esportes precisa de inovação, de alegria, de reformulação. Sair da mesmice é algo que no primeiro momento é impactante, porém necessário. Esqueça a tradição. Esqueça as listras, as faixas ou outros elementos recorrentes em camisas de futebol. Na Espanha, a moda agora é produzir uniformes com...Comunidade Judaica Paulistana