Hoje o tema é instigante, confrontante e apaixonante ao mesmo tempo. Fala de superação. Nos traz, que mesmo ao sofrimento inevitável, nós humanos, podemos transformá-lo em triunfo pessoal e ato de heroísmo. Exemplo de hoje? Nossa judoca Rafaela Silva. Na Logoterapia, há sempre luz no fim do túnel. No caso de Rafaela, o sol dourado sobre o peito, embaixo de chuva lançada de seus olhos.

Esse é o terceiro valor que traz sentido a vida. Para chegar até a ele, gostaria de retomar os três pilares da Logoterapia, trazendo exemplos, para que fique bem claro e objetivo. Vimos então, que os três pilares básicos pressupostos na Logoterapia são: 1) A Liberdade de Vontade. O homem é capaz de tomar suas próprias decisões, pelo qual é livre de escolher seu próprio destino. É livre de tomar uma atitude frente ao que acontece com ele. Não é limitada pelas dimensões física, psíquica ou social nas quais está inserida. Se algo não pode ser mudado, nós podemos, e somos livres de mudar nós mesmos. O Ser Humano se auto determina. Por exemplo: Nos campos de concentração, os prisioneiros não podiam sair daquele ambiente desumano, não podiam negar sua religião, cor, origem, condição psíquica(estresse, tristeza, angústia..) e física(desnutrição, doenças,esgotamento..), mas eram livres de continuar vivendo com dignidade com princípios e valores. O paciente de Frankl diz: ” Eu quebrei meu pescoço, mas o pescoço não me quebrou”. Quantas vezes será que falaram para Rafaela Silva, que não poderia ser judoca??  2-) A Vontade de Sentido. É a principal força motivadora do Ser Humano. É o esforço básico em direção de encontrar e realizar sentidos e propósitos. Por exemplo: é a força que os prisoneiros nos campos tinham para encontrar seus familiares, acabar um livro científico para contribuir ao mundo, ou acender as velas de Shabat, mesmo colocando a própria vida em risco. Frankl diz: “Quem tem um porque, enfrenta/suporta qualquer como”. Será que a vontade da nossa judoca brasileira em ser campeã olímpica, era pouca ou muita??. O que é capaz de uma mãe fazer aos seus filhos??  3-) O Sentido da Vida. Pressupõem que a vida tem um sentido incondicional e que este não se perde em nenhuma circunstância. Há três caminhos através das quais pode chegar ao sentido da vida. Divide-se então em três valores: 1-) Valores criativos: Dar algo, trabalhar. Contribuir de certa forma, para as pessoas e para o mundo. Por exemplo: A responsabilidade e dedicação do Rabino Avraham Stiefelmann com seus alunos . 2-) Valores de experiência: Vivenciar algo ou amar alguém. Por exemplo: O amor do pai pelos filhos. E então chegamos ao terceiro. 3-) Valores de atitude. Assumir o sofrimento inevitável.

Agora vamos começar entender porque algo confrontante e apaixonante. Porque em última análise, desafia o espírito humano. Mesmo em frente a uma fatalidade, numa situação sem esperança, o homem ainda pode erguer a cabeça, crescer internamente, mudar a si mesmo, e transformar tudo isso em um triunfo pessoal. Como?? Citando exemplos fica mais fácil: O filme recém lançado do nosso campeão de MMA, José Aldo. Tinha de tudo para se envolver na violência urbana,messiah-prayer pelo convívio com seu pai e “amigos” agressivos. Porém, se tornou o que és hoje; O pai norueguês com seu filho autista, trouxe ao Brasil, a única empresa especialista em capacitar para o mercado de trabalho, jovens e adultos dentro do mesmo espectro; O paciente de Frankl, que ficou tetraplégico após acidente, e resolveu ser psicólogo e ajudar o próximo; Nick Vujicic, já ouviram falar dele? Autor do Best Seller, “Uma vida sem limites”. Nasceu com amputação iatrogênica dos quatros membros, roda o mundo fazendo palestras motivacionais…E muitos outros exemplos. Se reparar, em sua volta está cheio deles…É transformar o limão em limonada. Certa vez perguntaram a Frankl: O que é desespero??. A resposta, na equação: D=S-S. Desespero é igual a sofrimento menos significado. Ou seja, em outras palavras, no momento que encontra-se significado no sofrimento, o desespero diminui. Se a vida há sentido, o sofrimento há de haver sentido também, pois o sofrimento faz parte da vida. Vale ressaltar, que o sofrimento desnecessário e/ou procurado é masoquista, e não heroico. Por outro lado, se o sofrimento vier, e não puder mudar a situação que causa , podemos escolher a sua atitude.

Dedico esse texto para elevação da alma de Chaia Mushka bat Harav Avraham Meir. Que possamos ver o significado do tamanho sofrimento o quanto antes, com a vinda do justo Mashiach agora.

 

 

 

 

 

 

http://portaljudaico.com.br/vendoo/uploads/2016/08/joaquim_-1024x576.jpghttp://portaljudaico.com.br/vendoo/uploads/2016/08/joaquim_-150x150.jpgLeonardo SlomovicJUDEUS NA LOGOTERAPIAlogoterapiaHoje o tema é instigante, confrontante e apaixonante ao mesmo tempo. Fala de superação. Nos traz, que mesmo ao sofrimento inevitável, nós humanos, podemos transformá-lo em triunfo pessoal e ato de heroísmo. Exemplo de hoje? Nossa judoca Rafaela Silva. Na Logoterapia, há sempre luz no fim do túnel. No...Comunidade Judaica Paulistana