Jesus-Cleansing-the-Temple

ENTÃO, AS PESSOAS JÁ CANSADAS DE TANTAS MORTES, TANTAS PUNIÇÕES, TANTA INTOLERÂNCIA, DECIDEM CRIAR E ACREDITAR EM UMA NOVA RELIGIÃO QUE PREGAVA MAIS TOLERÂNCIA, MAIS AMOR AO PRÓXIMO, MAIS PAZ, MAIS… MAS ERA CHEIA DE CONTRADIÇÕES. O MITO CRIADO, APESAR DE DIZER PELA BOCA DE SEUS CRIADORES, QUE SEGUIA A TORÁ POR SER JUDEU, CONTRADISSE OS ESCRITOS DE SEUS ANCESTRAIS, CONFUNDINDO OS QUE PASSARAM A ACREDITAR NESSA NOVA RELIGIÃO, SE TORNANDO UMA DAS RELIGIÕES QUE MAIS MATOU INOCENTES NO MUNDO.

1) Jesus era o “Príncipe de Paz”?

MATEUS

10:34 Não penseis que vim trazer paz à terra; não vim trazer paz, mas espada.

2) Se o propósito de Jesus era DAR SUA VIDA pelos pecados do mundo, por que ele acusou os judeus de procurem MATÁ-LO?

JOÃO

8:37-40 Bem sei que sois descendência de Abraão; contudo, procurais matar-me, porque a minha palavra não está em vós. Eu falo das coisas que vi junto de meu Pai; vós, porém, fazeis o que vistes em vosso pai. Então, lhe responderam: Nosso pai é Abraão. Disse-lhes Jesus: Se sois filhos de Abraão, praticai as obras de Abraão. Mas agora procurais matar-me, a mim que vos tenho falado a verdade que ouvi de Deus; assim não procedeu Abraão.

3) Se Jesus era a “luz para os Gentios” por que ele os considerou seres inferiores?

MATEUS

15:26 Então, ele, respondendo, disse: Não é bom tomar o pão dos filhos e lançá-lo aos cachorrinhos.

VEJAMOS TODAS AS CONTRADIÇÕES

1 – Jairo pede a Jesus ajuda para sua filha que estava morrendo (Lucas 8:41-42)
ou que já estava morta (Mateus 9:18)

2 – Ao sair de Jericó, Jesus curou dois cegos (Mateus 20:29, 30)ou curou apenas um cego (Marcos 10:46-47)

3 – Jesus disse que Zacarias era filho de Baraquias (Mateus 23:35), mas Zacarias era filho de Yehoiada (2 Crônicas 24:20-22). Na verdade os personagens citados por Jesus encontram-se em Flávio Josefo (Guerra dos Judeus contra os Romanos, cap. 19, parte 321), e se trata de evento ocorrido cerca de quarenta anos após a morte do Nazareno, que, assim, não poderia ter falado sobre tal ocorrência.

4 – Dois discípulos buscaram uma jumenta e um jumentinho para Jesus (Mateus21:2-7)
ou era apenas um jumentinho, sem a mãe (Marcos 11:2-7)

5 – Um “novo mandamento” foi dado por Jesus, escreveu João (João 13:34), mas os mesmo João diz depois que não há “novo mandamento” (1 João 2:7- 8; 2 João 5)

6 – Jesus afirma que a Torah e os profetas vigoraram apenas até João Batista. (Lucas 16:16), mas depois o mesmo Jesus afirma no versículo seguinte que não cairá uma letra da Torah, (Lucas 16:17), e ainda, que a Torah continua em vigor e não cairá nenhum dos seus menores mandamentos! (Mateus 5:17-19)

7 – Quem fez o pedido para que os irmãos Tiago e João se assentassem, um à direita e outro, à esquerda, de Jesus em seu reino?

Mateus (20:20-21) jura que foi a mãe deles, mas Marcos (10:35-37) garante que foram os dois discípulos que fizeram o pedido pessoalmente.

8 – Jesus disse que João Batista era o prometido Profeta Elias que viria antes do Dia do Eterno. (Mateus 11:12-14; 17:10-13)
João Batista, porém, desmente Jesus, ele diz: “Eu não sou Elias” (João 1:19-21).

9 – Jesus, antes e depois de sua ressurreição, sabia de todas coisas…
(João 16:30; 21:17), mas não é bem assim, pois ele não sabe de tudo, nem antes e nem depois da ressurreição (Mateus 24:36; Atos 1:7)

10 – Jesus disse que os judeus o conheciam e sabiam de onde ele era. (João 7:28), mas, de repente, Jesus se contradiz e afirma que judeus não o conheciam e não sabiam de onde ele viera. (João 8:14, 19)

11 – Jesus disse que não veio abolir a Lei e os Profetas (Mateus 5:17-19), mas, seu fiel discípulo Paulo, mesmo confessando que acreditava em tudo que estivesse de acordo com a Lei e os Profetas (Atos 24:14), ensinou que Jesus aboliu a Lei, na sua morte (Efésios 2:15)

12 – Jesus foi crucificado no lugar chamado Gólgota, que seria uma montanha árida (Mateus 27:33, 60; Lucas 23:33, 53), ou talvez no local houvesse um horto (João 19:17, 41)

13 – Mateus (27:32), Marcos (15:21) e Lucas (23:26) atestam que Simão, de Cirene, levou a cruz para Jesus em boa parte do percurso, mas João não viu nada disso e afirma que Jesus, “ele mesmo” levou a cruz até o local da crucificação (João 19:17)

14 – A profecia diz que o Messias reinará em Israel (Miquéias 5:2), mas Jesus disse que seu reino não era deste mundo (João 18:36)

15 – Jesus, não pode ser confirmado, em sua genealogia, como filho de um só ancestral, pois enquanto Mateus (1:6, 7) diz que ele é descendente de Salomão; Lucas (3:31-32) diz que é descendente de Natan, irmão de Salomão, ambos filho de David.

16 – Nos dias de Jesus, o Povo de Israel estava dominado pelos romanos contradizendo Jeremias 23:5-6: “Aproximam-se os dias – diz o Eterno – quando escolherei, dentre os rebentos de David, um justo que os governará como rei, que prosperará e saberá praticar justiça e retidão na terra. Em seus dias Judá será redimida e Israel viverá com segurança. Assim, ele não podia ser o Messias, pois Israel não poderia estar sob jugo estrangeiro.

17 – Maria não é apresentada, nos evangelhos, como descendentes de David, mas apenas José, que é chamado, textualmente, de “filho de Davi” (Mateus 1:20; Lucas 1:27; 2:4, 5). Na verdade, Maria era parenta de Isabel, que foi chamada de uma “das filhas de Aarão” (Lucas 1:5, 36), ou seja, Maria também era descendente de Levi, o que mostra que David não era ancestral de Jesus, situação que anula, para o Nazareno, qualquer perspectiva messiânica, caso fosse buscada pela via materna. Como sabido, a dinastia davídica se concretiza apenas pela linhagem paterna (2 Samuel 7:11-29; Salmo 89:35-37; Jeremias 23:5 etc), e os evangelhos, por sua vez, mostram que Jesus não era filho biológico de José (Lucas 3:23; Mateus 1:18-25) e sim fruto da relação entre um anjo e Maria.

18 – Jesus disse que os gentios seriam seus assassinos (Lucas 18:31-33), mas depois, diz que seriam os próprios judeus que o matariam (Lucas 20:13, 14). Mas quem tinha o poder de matar seus réus, eram os romanos.

19 – João escreveu que os soldados romanos pregaram Jesus na cruz (João19:23), mas Pedro disse que foram os Judeus que pregaram Jesus na cruz e o mataram (Atos 2:23; 5:30)

20 – Paulo ensinou que a ressurreição de Jesus é a base da salvação (1 Coríntios 15:12-19), mas, discordando, antes, Jesus ensinou que a ressurreição não é base para a salvação, mas, sim, a obediência a Moisés e aos Profetas de Israel (Lucas 16:27-31)

21 – A Torah diz que o Prometido por Deus seria semelhante a Moisés (Deuteronômio 18:15-19); mas Paulo diz que Jesus não é semelhante a Moisés, mas muito superior a ele, sendo Deus (Hebreus 1:8-12; 3:1-6); Isto contradiz a Torah e o judaísmo.

22 – Jesus disse: “Eu e o Pai somos um” (João 10:30), se colocando em pé de igualdade com Deus, mas em outro texto ele diz: “O Pai é maior do que eu” (João 14:28)

23 – O Eterno disse que nunca um Rei se levantaria com maior glória e sabedoria do que Salomão (1 Reis 3:13; 2 Crônicas 1:12), mas, Jesus, que não negou ser pretenso rei (João 18:33-37; Mateus 27:11), disse que ele era maior do que Salomão (Mateus 12:42) contradizendo os escritos de seu povo.

24 – Jesus incentivou os discípulos a se armarem de espadas para realizar uma revolução pois este era o objetivo de sua vinda a Terra (Lucas 22:36; 23:2-3), depois, vendo inútil a ação armada de seus discípulos, em seu favor, proíbe o uso da espadas (Mateus 26:51-56).

25 – Jesus disse que, dos alimentos que ingerimos, nada vai ao coração, mas vai tudo para os intestinos e dali para o esgoto (Marcos 7:18, 19), mas discordando, Paulo pregava que, dos alimentos que ingerimos, algo vai para o coração, em forma de sangue. (Atos 14:17)

26 – Isaías predisse que o Servo do Eterno não seria destruído até estabelecer a Justiça na Terra (Isaías 42:4), mas Jesus, a quem os missionários aplicam essa profecia (Mateus 12:18-20), morreu, como todos os seres humanos, pois era mortal (Marcos 15:37), e a Justiça não foi estabelecida na Terra, desde então, como esclareceu Paulo (Romanos 3:9-10).

27 – Jesus disse que o ensino dos escribas e fariseus era correto e deveria ser obedecido (Mateus 23:1-3). No entanto, ensinou que seus discípulos deveriam ser mais justos que os escribas e fariseus (Mateus 5:20), e condenou a obediência dos fariseus e os mandamentos da Torah (Lucas 18:9-14). Graças ao Novo Testamento fariseu virou “sinônimo” de algo pejorativo.

28 – Jesus declarou-se “manso e humilde de coração” (Mateus 11:29), mas chamou uma gentia de ‘cadela’ (Mateus 15:21-27) e usou um chicote de cordas para expulsar pessoas do Templo (João 2:13-16).

29 – Jesus disse ao Satan que só Deus deveria ser adorado (Mateus 4:10) e ensinou que adora-se apenas o Pai (João 4:23), mas consentiu em ser adorado e não repreendeu seus adoradores (João 9:38; Mateus 8:2; 9:18), algo que os anjos não aceitam (Apocalipse 19:10) e Jesus, mesmo sendo menor do que os anjos, aceitou (Hebreus 2:9)

30 – A ascensão de Jesus teria ocorrido na Galiléia, onde proferia suas últimas ordens (Mateus 28:16-20; Marcos 16:7, 19), mas Lucas discorda, a ascensão ocorreu em Betânia, perto de Jerusalém, onde morava o discípulo amado, Lázaro (Lucas 24:50-52; João 11:1,3, 36)

31 – Segundo Paulo (Hebreus 5:8) Jesus aprendeu obediência pelo sofrimento, mas o próprio Jesus discorda, afirma que a obediência deve ser motivada pelo amor(João 15:10)

32 – Jesus, em tenra idade, segundo Mateus, foi levado de Belém ao Egito (Mateus 2:1, 13-15), mas Lucas discorda dessa versão, pois após o nascimento, ou seja, quarenta dias, segundo o preceito da Torah (Levítico12:2-4, 6-8), o menino ainda estava em Jerusalém cumprindo os rituais, e depois os pais de Jesus e o menino voltaram a Nazaré (Lucas 2:21-24, 39-41, 51)

33 – Quantas mulheres foram ao sepulcro de Jesus, após sua alegada ressurreição? De acordo com João (20:1), apenas Maria Madalena; Segundo Mateus (28:1), Maria Madalena estava acompanhada de uma outra Maria. Já o evangelista Marcos (16:1, 2), vendo melhor, afirma que além das duas Maria, uma mulher chamada Salomé estava presente também, por sua vez, escreveu Lucas (23:54, 55; 24:1, 10) que muitas mulheres foram ao sepulcro, inclusive Maria Madalena, Joana, Maria, mãe de Tiago e outras mulheres que estavam com elas.

34 – Onde foi proferido o famoso “Sermão do Monte”? Mateus (5:1) assegura que foi num monte mesmo, mas Lucas (6:17) diz que foi num lugar plano.

35 – As últimas palavras de Jesus foram ? “Deus meu, Deus meu, por que me abandonaste?” (Mateus 27:46, 50), ou teria sido “Pai, nas tuas mãos entrego o meu espírito” (Lucas 23:46), ou ainda: “Está consumado” (João 19:30).

36 – Qual destas profecias de Jesus é a verdade? Pedro o negaria três vezes antes de o galo cantar UMA vez (Mateus 26:34, 74, 75; Lucas 22:60); antes de o galo cantar DUAS vezes? (Marcos 14:30, 72), ou negaria três vezes, sem que o galo tivesse cantado NENHUMA VEZ?! (João 13:38)

37 – Jesus afirmou que nunca pregara nada oculto, que falava claramente (João 18:20), porém recomendou aos discípulos que o que ele lhes dissesse “às escuras”, deveriam pregar em plena luz e o que ouvissem em segredo deveriam proclamar aos eirados (Mateus 10:27)

38 – Logo após o batismo de Jesus, imediatamente o “espírito o impeliu a ir ao deserto”, onde ficou quarenta dias (Marcos 1:9-13), mas não é bem assim, afirma João, pois no dia seguinte Jesus ainda se encontrava no mesmo local onde ocorrera o batismo (João 1:35, 36)

39 – A quem as mulheres viram no sepulcro? Um ANJO (Mateus 28:2, 5); um JOVEM (Marcos 16:5); Dois HOMENS (Lucas 24:4) ou DOIS ANJOS (João24:12)

40 – Jesus é mentiroso? Ele diz que se desse testemunho sobre si mesmo, seu testemunho não seria verdadeiro (João 5:31), mas afirma, a seguir, que se ele desse o testemunho sobre si mesmo, seu testemunho seria verdadeiro (João 8:14)

41 – Jesus foi pregado na cruz na terceira hora (nove da manhã) como viu Marcos (Marcos 15:25), ou foi pregado após a sexta hora (meio-dia), de acordo com João 19:14, 15?

42 – Segundo os judeus, o Messias, quando vier, anunciará paz às nações e será reconhecido Rei por todas elas (Zacarias 9:10), mas isso não aconteceu com Jesus, que, no início de sua pregação, conforme Mateus (Mateus 10:5), proibiu que as nações ouvissem sua mensagem, pois viera pregar somente à Casa de Israel (Mateus 15:24). Posteriormente mudou de idéia, visto que sua mensagem anti-Torah não “pegou” com os judeus mandando que os discípulos pregassem às nações’ (Mateus 28:19-20);

43 – Segundo vários textos, Jesus observava o Sábado (Shabat) (Lucas 4:16, 31,44), assim como o apóstolo Paulo e seus companheiros de viagem também o faziam (Atos 16:13-15; 17:1, 2), mas o mesmo Paulo se postou contra a observância das Festividades Judaicas e do próprio Shabat (Colossenses 2:16), ainda que se dizendo imitador do Nazareno (1 Coríntios 11:1);

44 – Dizem que ele não contrariou a Torah, mas Jesus disse: “E aquele que casar com a repudiada comete adultério” (Mateus 5:32), mas uma repudiada poderá casar-se novamente; apenas se divorciar-se de novo, após o segundo casamento, ou ficar viúva, não poderá casar-se com o primeiro marido (Torah – Devarim 24:2-4)

45 – Jesus no tocante ao ensino do Juramento, afirmou: “Eu, porém, vos digo: de modo algum jureis; nem pelo Céu, por ser trono de Deus; nem pela Terra, por ser estrado de seus pés; nem por Jerusalém, por ser cidade do grande Rei; nem jures pela tua cabeça, porque não podes tornar um cabelo branco em preto. Seja, porém, a tua palavra sim, sim; não, não. O que disto passar vem do maligno” (Mateus 5:33-37), mas a Torah, ao contrário, contém este mandamento: “Ao Eterno, teu Deus, temerás, a Ele servirás, e, pelo Seu nome, jurarás” (Torá – Devarim o 6:13; ver 10:20).

46 – Jesus mandou um leproso oferecer o sacrifício prescrito por Deus, em razão do restabelecimento da doença (Mateus 8:4; Levítico 14:2-7, 20), depois mudou de idéia, dando uma extensão ao ensino ético dos profetas de Israel, postando-se contra os sacrifícios, dizendo que só a misericórdia bastaria aos pecadores, não o sacrifício (Mateus 9:13; ver Salmo 51:16-19 [51:18-21, texto hebraico])

47 – Quem era o Sumo Sacerdote, naquele tempo, perante quem Jesus compareceu? Era Caifás (Mateus 26:57)ou Era Anás (Atos 4:6; Lucas3:2)?

48 – O julgamento de Jesus ocorreu perante o Sinédrio á noite, logo após sua prisão (Marcos 4:17, 43, 46, 53, 55, 72), ou ocorreu de manhã, perante o Sanhedrin (Sinédrio) conforme Lucas 22:66-71 ou ainda, não houve reunião do Sanhedrin, mas apenas Anás interrogou Jesus e depois o enviou a Caifás (João 18:13, 19-24)

49 – A Torah sustenta que o Criador “repousou” no sétimo dia da semana, o Shabat (Gênesis 2:1-3; Êxodo 20:8-11), que é o quarto mandamento instituído por Ele aos judeus, mas o Nazareno, dizendo-se Seu filho predileto – outro fato que contraria o judaísmo, pois na verdade se Deus existisse, seríamos todos filhos dele – disse que imitava ao Pai, que trabalhava no Shabat! (João 5:8, 9).

50 – Jesus declarou que os humanos cansados que o buscassem, achariam alívio para suas almas, porque ele era manso e humilde de coração (Mateus 11:28,29). No entanto, muitos o abandonaram, não suportando sua pregação confusa, ao induzí-los a violarem a Torah, além de fazê-las sentir-se inúteis (João 6:35-60; Lucas 16:8; 17:10).

COMO PODEM VER, TODAS AS TRÊS RELIGIÕES MONOTEÍSTAS, PREGAM A CONFUSÃO, A PUNIÇÃO, O ÓDIO E A INTOLERÂNCIA, E OBTÉM COMO RESULTADO, O CAOS EM QUE O MUNDO VIVE.

http://portaljudaico.com.br/vendoo/uploads/2017/04/Jesus-Cleansing-the-Temple.jpghttp://portaljudaico.com.br/vendoo/uploads/2017/04/Jesus-Cleansing-the-Temple-150x150.jpgKito MelloCRÔNICASO QUE TEMOS PRA HOJE?ENTÃO, AS PESSOAS JÁ CANSADAS DE TANTAS MORTES, TANTAS PUNIÇÕES, TANTA INTOLERÂNCIA, DECIDEM CRIAR E ACREDITAR EM UMA NOVA RELIGIÃO QUE PREGAVA MAIS TOLERÂNCIA, MAIS AMOR AO PRÓXIMO, MAIS PAZ, MAIS... MAS ERA CHEIA DE CONTRADIÇÕES. O MITO CRIADO, APESAR DE DIZER PELA BOCA DE SEUS CRIADORES, QUE SEGUIA...Comunidade Judaica Paulistana