Quando viajamos pela linda ”Galil ” ( Galiléia) e passeamos na pacata e sagrada cidade de Sfat, percebemos um clima diferente, que nos remetem ao século 16 : um misto de santidade em total harmonia com a natureza verdejante, com as construções em pedra, , vemos as lindas sinagogas medievais pintadas em ”Techélet” ( Azul-celeste), não nos damos conta da real grandeza dos antigos frequentadores daqueles locais santos, que influenciaram o Mundo Judaico.

Na foto, mostramos a linda ”Sinagoga Abohab”, construída pela ilustre família Abohab ( ou Aboab), de origem Sefaradi, exilada da Espanha anos antes. Nela rezaram e estudaram os grandes Luminares do Povo de Israel, entre os quais está o nosso Tzadik, RABI MOSHE CORDOVERO, O ”RAMAK”, ZTZK”L. Vamos passear pelo Norte da Terra Santa com ele!!!

A REVELAÇÃO DE UM PRODÍGIO :

Ramak foi um estudante do renomado Rabi Yossef Caro ZTZK”L, autor do ”Shulchan Aruch” ( Código de Leis da Torá). Seu mestre o elogiava muito pela genialidade vasto conhecimento do jovem Ramak em todos os aspectos da Torá, Talmud, comentaristas anteriores e posteriormente, Cabalá, e filósofo do mais alto nível, altamente respeitado nestes campos.

A grandeza dele era tão, que ele foi um dos quatro privilegiados a receber a ”Semichá” ( ordenação rabínica) especial de RABI YAAKOV BEIRAV ZTZK’L em 1538, juntamente com RABI YOSSEF CARO ZTZK”L ( seu professor de Torá e Talmud), RABI MOSHE DI TRANI ZTZK”L e RABI YOSSEF SAGUIS ZTZK”L, todos muito mais velhos e mais conhecidos que o jovem prodígio de apenas 18 anos!

Mas o interesse especial de Rabi Moshe, era pela sistematização da Cabalá, organizando-a numa estrutura filosófica ordenada.

 

Em 1542, aos exatos 20 anos, Rabi Moshe Cordovero escutou uma voz celestial, insistindo para que ele fosse estudar Cabalá com seu cunhado, RABI SHELOMÔ ALKABETZ ZTZK”L (autor do ”Lechá Dodi”, que entoamos para recepcionar o Shabat na tarde de sexta-feira no serviço vespertino ).

Assim ele iniciou seu estudo pelo ”Zohar Hakadosh”, obra magma do RABI SHIMON BAR YOCHAI ZY”A.  De início, ele logo compreendeu todo texto do ”Zohar Hakadosh”, algo praticamente impossível para um aluno de apenas 2o anos!

 

LEGADO DO TZADIK, SEU ”POMAR DE ROMÃS” CELESTES:

pardes rimonim 1786,
Edição do ”Pardes Rimonim” de 1786, Polônia.

Não satisfeito com sua simples leitura e compreensão, ele resolve escrever todas suas conclusões do texto para melhor gravá-las, assim, redige dois livros: o ”Or Yakar” ( ”Luz Preciosa”), um grande comentário sobre o ”Zohar Hakadosh’. E o segundo chamado ” Pardês Rimonim’‘ ( ”Pomar das romãs”), em 1548, que assegurou sua lembrança entre os Sábios de Israel.

O ”Pardes Rimonim’‘ é uma sistematização de toda Cabalá até sua época. Na sua obra, ele concilia toda complexidade do ”Zohar Hakadosh” com o Talmud e Lei Judaica, algo totalmente inovador na época, pois deu ao estudo da Cabalá um um sistema conciso que pudesse ser seguido dentro de uma grade de ”Limud” ( estudo ) por alunos de Yeshivá.

pardes rimonim arquivo vaticano
Manuscrito do ”Pardes Rimonim”, Arquivo Vaticano.

Outros dois livros sagrados escritos por ele são: ”Tomer Devorá” ( ”Palmeira de Débora, a Juíza), onde ele relata a relação e interação das ” Dez Sefirot” sustentando o Mundo, e também o ”Or Neerá” ( ‘‘Luz Brilhante”), que é basicamente a justificativa e incentivo pelo estudo da Cabalá de forma sagrada dentro dos princípios da Torá e da Halachá.

SUA LUZ COMEÇA SE ESPALHA E A REVELAÇÃO DE SEU SUCESSOR:

Por volta de 1550, Rabi Moshe Cordovero fundou uma Yeshivá com foco no estudo dos livros de Cabalá em Sfat, no qual ele lecionou por 20 anos. Até seu falecimento, era frequente receber revelações de Eliahu Hanavi, Profeta Elias.

Entre seus alunos, estavam grandes Luminares do Povo Judeu, incluindo: Rabi Eliahu di Vidas ZTZK”L, autor do clássico ”Reshit Chochmá’‘ ( ‘‘Princípio da Sabedoria’‘), e RABI CHAIM VITAL ZTZK”L, que mais tarde seria o escrivão oficial e disseminador dos ensinamentos do ”ARIZAL”, RABI ITZCHAK LURIA ZTZK”L.

O grupo de alunos aderiram aos métodos prescritos no ”Zohar Hakadosh’‘ para trazer a Redenção: Passavam horas rezando e meditando nos campos, faziam penitência, visitavam os túmulos dos Tzadikim das redondezas. Quando o ARIZAL chegou a Sfat, ele juntou-se a este grupo de Mekubalim, com extrema modéstia, esperando assim ocultar sua grandeza.

Somente Rabi Moshe Cordovero, que tinha clarividência divina, sabia quem o ARIZAL realmente era: uma centelha da alma de MOSHE RABENU A”H.

 

O TZADIK SE PREPARA PARA JUNTAR-SE AO CRIADOR:

Antes de sua elevação, em 1570, o Ramak disse: ” Logo deixarei este mundo. Porém, após meu falecimento, alguém irá me substituir. E embora muitas declarações desta pessoa pareçam contradizer as minhas, não se oponham a ele e não discutam! Pois eles brotam da mesma fonte sagrada que os meus ensinamentos, e são absolutamente Verdadeiros. Sua alma é uma centelha de Moshe Rabenu e de Rabi Shimon Bar Yochai, e quem se opuser a ele, se opõe à Shechiná. ( Glória divina)”

“Qual é o seu nome?” perguntaram os discípulos.

“Não posso lhes dizer. A essa altura, ele não deseja que sua identidade seja conhecida. Isso, porém eu posso dizer: Aquele que vir a nuvem que precederá meu corpo no meu funeral, este será meu sucessor.”

Poucas semanas depois, aos 48 anos, no dia 23 de Tamuz de 5330 (1570), a alma do santo Rabi Moshe Cordovero foi elevada aos Céus. Em seu cortejo fúnebre, o ARIZAL declarou que Rabi Moshe Cordovero era tão puro e totalmente livre de pecados que, sua morte somente era atribuída ao ”pecado original” de Adam!

Enquanto acompanhavam o corpo santo do Ramak para seu repouso, todos os judeus de Sfat e Galiléia choravam copiosamente. Assim que os carregadores do corpo  chegaram ao ”Bet Hachaim” ( cemitério), continuaram caminhando por dentro deste, até chegarem a um determinado lugar, então voltando-se para a multidão, os seus alunos disseram: ” Vamos enterrar nosso Mestre aqui, ao lado dos maiores Sábios de Israel.”

 

ramak2
Cemitério dos Tzadikim de Sfat, com a tumba do RAMAK no canto inferior esquerdo.
ramak
Detalhe do local de repouso do RAMAK, Sfat.

No entanto, o ARIZAL os deteve gritando: ”Não o enterrem aqui! A nuvem divina que o precede ainda continua se movendo! Certamente ela vai indicar onde Nosso Mestre deva ser enterrado!”

Ao ouvirem estas palavras, todos ficaram perplexos! Agora conheciam a identidade do Tzadik e sucessor do Ramak!

Segundo o testemunho do ARIZAL, o esquife que levou o corpo santo do Ramak ao seu repouso final estava envolvido numa chama sagrada intensa. A partir daquele dia, a fama do ARIZAL despontou-se pela Terra Santa e vários eruditos notáveis começaram a se agrupar ao redor dele.

O ARIZAL viveu apenas dois anos depois que seu Mestre fora elevado. Ele foi levado deste mundo por uma peste que assolou Sfat em 1572. Porém neste curto período, ele revolucionou o estudo de Cabalá. Foi o primeiro a explicar o conceito de ”Tzimtzum” ( a ”contração” de D’us de Sua Infinita Luz para ”dar lugar” e espaço á Sua Criação.) e muitos outros conceitos profundos.

Como previsto pelo santo Ramak, muitos ensinamentos do ARIZAL parecessem ”contradizer” de seu predecessor, por fim todos perceberam que ambos vinham da mesma fonte sagrada.

Que os méritos sagrados do Ramak protejam todo Israel, AMEN !!!

 

http://portaljudaico.com.br/vendoo/uploads/2016/07/abuhav-synagogue-1024x680.jpghttp://portaljudaico.com.br/vendoo/uploads/2016/07/abuhav-synagogue-150x150.jpgDiogo Hara ClaroGRANDES SÁBIOSRELIGIÃOARIZAL,Kabbalah,Moshe Cordovero,Rabi,Rabinos influentes,Safed,Sefarad,Sfat,Tzadik  Quando viajamos pela linda ''Galil '' ( Galiléia) e passeamos na pacata e sagrada cidade de Sfat, percebemos um clima diferente, que nos remetem ao século 16 : um misto de santidade em total harmonia com a natureza verdejante, com as construções em pedra, , vemos as lindas sinagogas...Comunidade Judaica Paulistana