Neste shabat lemos parashat Nassô, a maior da Torá. Nela encontramos as mitzvot do Nazir. Traz o passuk 6:2: homem e mulher que se separe em promessa de voto de Nazir para Hashem.

A Torá nos ensina que os modelos que vimos antes onde cada família se obriga com um serviço e uma função não é a única regra. Não estamos limitados a servir a Hashem com o mínimo possível. Sempre as portas estão abertas para aqueles que querem se conectar mais. Porém esta conexão exige responsabilidade e abdicação.

Não é fazer como os loucos que levantam se intitulam Bnei Noach e vivem uma vida mundana. Usam um pretexto para justificar sua “liberdade”.

O Nazir não apenas tinha proibido tomar vinho. Nem mesmo poderia enterrar seus pais ao morrerem! Porque se entregar a Hashem exige compromisso.

Aí traz a Torá todos os dias de seu voto de Nazir, ele é santo para Hashem.

Quero dizer que não é porque o Ben Noach está obrigado com 7 leis que ele esteja em um nível mais baixo de espiritualidade. Afinal de contas o que é ser servo de Hashem senão cumprir com todas suas obrigações para com Ele?

A questão é semelhante aos caso das mulheres. Pela manhã enquanto que o homem abençoa dizendo: “que não me fizeste mulher” a mulher abençoa: “porque me fizeste segundo Tua vontade”. Há mulheres de movimentos feministas que se enlouquecem com isso. Mas o fato é que por não estudarem Torá não sabem o significado das brachot.

A mulher está obrigada a menos mandamentos que o homem, mas isso não significa que ela seja espiritualmente inferior, pelo contrário! A mulher por ter menos obrigações se conecta com D’us mais rápido, com menos esforço e lhe é muito mais difícil cair de seu nível! Por isso que a mulher pode dizer que foi feita conforme s vontade de D’us e o homem não!

Seguindo esta linha de pensamento, o mesmo se aplica ao escravo que tem menos obrigações que a mulher e em seguida a


o não judeu que tem menos obrigações que o escravo.

Contudo, assim como o Nazir, qualquer um pode aumentar sua responsabilidade e buscar se conectar mais e mais, desde que já tenha cumprido com sua obrigação original. Sendo assim, Bnei Noach também pode aumentar sua conexão com D’us se apartando cada vez mais em santidade e se dedicando ao serviço divino. Por exemplo, pode se comprometer a comer Kasher, a dar tzedaká, a visitar os enfermos, a rezar pelos necessitados etc. Qualquer mitzvá da Torá poderá ser cumprida segundo sua lei desde que não sejam as mitzvot relativas à kedushá de Am Israel.

Concluindo, servir a D’us com responsabilidade e verdadeira devoção e não como tem acontecido muito no Brasil onde não judeus se auto intitularam judeus, “cumprem” as mitzvot que os fazem parecer judeus ao olhos leigos como talit e Tefilin e não guardam shabat, não dão tzedaká, não comem Kasher etc. Mentirosos se juntam em multitudes para fazer o mal.

Seja responsável e receba a Torá cada mitzvá a sua vez. E a cada degrau estará mais perto dos céus!

http://portaljudaico.com.br/vendoo/uploads/2017/06/FB_IMG_1496540971068-1024x576.jpghttp://portaljudaico.com.br/vendoo/uploads/2017/06/FB_IMG_1496540971068-150x150.jpgKaleb LustosaPARASHÁ DA SEMANADevoção,Emuná,espiritualidade,Fé,parasha da semanaNeste shabat lemos parashat Nassô, a maior da Torá. Nela encontramos as mitzvot do Nazir. Traz o passuk 6:2: homem e mulher que se separe em promessa de voto de Nazir para Hashem. A Torá nos ensina que os modelos que vimos antes onde cada família se obriga com um...Comunidade Judaica Paulistana