quando-a-criana-no-gosta-de-beijar-abraar_A

 

Quem nunca ouviu quando criança: “dá um beijo em fulano!”? Sentimento de ser obrigado a fazer algo que não quer. Mas não se trata de qualquer algo. Um beijo, mesmo que na bochecha, é um ato erótico. A boca é uma parte do corpo erógena que, desde a primeira mamada, provoca no bebê prazer e excitação, por mais estranho que isso possa soar. Sim, do modo que eu entendo e que me faz sentido, seguindo a Psicanálise, a excitação já começa desde lá.

Aí a criança tem 5 anos, por exemplo, e é obrigada a beijar alguém que não quer. E isso é algo que se repete com ela a cada visita de alguém. A criança se sente obrigada a beijar. Que efeitos isso pode contribuir com a criança mais para frente na vida? Ah, que beijar é bom? Não necessariamente. Algo que foi obrigada a fazer talvez não seja tão bom assim. A gente beija quem a gente quer, porque quer e porque gosta.

Quando uma criança é obrigada a beijar, ela entende que ela não pode decidir, que seu consentimento, sua permissão não vale. Na vida adulta, talvez a criança possa entender que todo outro adulto que quiser beijá-la ela é obrigada a aceitar, mesmo contra sua vontade. Por que? Porque se não, o outro não vai gostar dela, ela não vai ser aceita, sentirá em falta com o outro. Tudo isso, quando chega na vida adulta é inconsciente, decorrente do sentido que a criança deu para o que ela vivenciou.

Aí, já viram aquela pessoa rotulada como beijoqueira? Como a que beija com todos ou todas? O que será que aconteceu com ela na infância? Não necessariamente tenha sido a obrigatoriedade do beijo, mas pode ter sido. Por outro lado, a pessoa pode ficar com nojo de beijar, mesmo que não entenda o motivo. E essas são apenas duas hipóteses dentre inúmeras outras de consequências que uma criança que foi obrigada a beijar quem não quis sem seu consentimento pode sofrer na vida adulta, ou até mesmo antes, na adolescência.

Esse hábito social pode ser prejudicial para o mundo interno emocional da criança. Ensinar a criança a agradecer por algo é uma coisa, obrigar a dar um beijo, é muito diferente. Nada vai acontecer ao adulto que não receber um beijo de uma criança. Garantido. Se a criança quiser dar um beijo, ela o dará porque quer, por vontade própria, não porque tem que dar.

E com isso, para finalizar, convido a todos a refletirmos sobre a importância de dar valor ao consentimento da criança com relação a esse tipo de atitude. Só assim, dando valor ao consentimento dela, ela vai poder crescer e decidir quem quer beijar, quem não quer e que não tem que fazer nada que não queira.

https://portaljudaico.com.br/vendoo/uploads/2017/02/quando-a-criana-no-gosta-de-beijar-abraar_A.jpghttps://portaljudaico.com.br/vendoo/uploads/2017/02/quando-a-criana-no-gosta-de-beijar-abraar_A-150x150.jpgSefi StrengerowskiCRIANÇA, FAMÍLIA E ESCOLAEXPERTSbeijar,consentimento,criança,criança e adulto,obrigação  Quem nunca ouviu quando criança: “dá um beijo em fulano!”? Sentimento de ser obrigado a fazer algo que não quer. Mas não se trata de qualquer algo. Um beijo, mesmo que na bochecha, é um ato erótico. A boca é uma parte do corpo erógena que, desde a primeira...Comunidade Judaica Paulistana