dinah

Seguindo pelo hall das Mulheres do Tanach, chegamos hoje até DINÁ BAT YAAKOV AVINU A”H, cuja história é rapidamente contada na Parashat Vaishlach ( Bereshit 34 ). Podemos perceber pelo incidente trágico que se abateu na família do Patriarca Yaakov que o Criador na verdade estava preparando o caminho para Yossef no Egito…Não entendeu o que quis dizer? Acompanhe a história de Diná que logo você vai entender!!!

Dina bat Yaakov era a filha de Leah  (clique no nome dela) e  Yaakov Avinu A”H. Era sabido por todos as   Imahot  (Matriarcas) que Yaakov geraria apenas doze Homens para construir as doze personalidades arquetípicas que poderiam ser encontradas na Nação Judaica , Reino da Santidade. Quando Leah ficou grávida de seu sétimo filho, ela percebeu que Rachel ,(cuja história você pode ler clicando no nome dela) que só tinha Yossef como seu único filho, tornando-a inferior diante das esposas cocumbinas, Bilah e Zilpa, que cada uma já tinha dois filhos. Leah, portanto, julgou as circunstâncias e emitiu um veredito sobre si de que ela não poderia deixar sua Rachel neste posição vergonhosa e começou à rezar para que o feto se transformasse  em uma menina. Suas orações foram aceitas e, quando uma menina nasceu, deu-lhe o nome de DINÁ (”Juízo”), depois do juízo que ela emitiu sobre si mesma.

INCIDENTE TRÁGICO NA FAMÍLIA DOS TZADIKIM: O ESTUPRO DE DINÁ

Diná cresceu como Tzadiká, uma Justa, piedosa, aprendeu os valores sagrados de sua mãe, tias, pai e irmãos. Sempre procurava espalhar a idéia do Único D’us entre as moças que conhecia. Quando Diná tinha cerca de seis anos de idade, Yaakov Avinu voltou  habitar a Terra Santa, na cidade de Sucoth. Diná havia nascido em Haran, quando seu pai ali morava. (Bereshit 31:41) Perto do acampamento de Yaakov e sua família ficava a cidade de Sichém ( atual Nablus). Era para lá que Diná se dirigia frequentemente para visitar as moças caananitas  locais, que não partilhavam dos costumes religiosos dos descendentes de Avraham Avinu, para lhes ensinar. 

Durante uma dessas visitas regulares, Shichém, filho de Hamor, o maioral da cidade ( cuja a mesma levava o nome de seu filho), violou Diná:  “agarrou-a, se deitou com ela e humilhou-a. E sua alma se apegou a Diná … ele amou a moça e falou-lhe ao coração” (Bereshit 34, 2 e 3). Após o trágico estupro,  Shichém pediu a seu pai que obtivesse Diná para ele, para ser sua esposa. Com todo cinismo, Hamor foi até Yaakov e pediu Diná para seu filho: “Faça casamentos conosco; dai vossas filhas para nós, e tomai as nossas filhas para vós. Você deve habitar conosco, e a terra será aberta para você”,  Hamor e Shichém ofereceram  a Yaakov e seus filhos  qualquer dote que eles determinassem. Logo sabendo do terrível ocorrido, de ter uma Bat-Israel,  pia e justa, de uma linhagem de Tzadikim, violentada e mantida rapta por Caananitas incircuncisos e idólatras, os  irmãos Shimon e Levi A”H, traçariam uma ”vendeta”:  eles convenceram os homens de Shichém a efetuarem ‘‘Brit-Milá’‘ (circuncisão) em troca da mão de Diná em casamento.

Daí, enquanto os habitantes da cidade ainda estavam em convalescença, os dois irmãos atacaram a cidade e mataram todos os homens, incluindo Hamor e Shichém. Obviamente Yaakov Avinu, um homem pacífico, não aprovou tal atitude de seus filhos. Mas o estado das coisas era já irreparável. Eles assim ”vingaram” sua irmã violentada, Diná.

FRUTO DO INCIDENTE QUE TRANSFORMOU-SE EM BÊNÇÃO:

Mas Diná estava grávida de Shichém!!!

Desta relação, lhe nasceu uma menina, a quem deram o nome de ASSENAT, ou ASNATEsta criança ”ilegítima” fora jogada fora pela família , e transportada por mercadores a Egito onde foi adotada por Potifar e casou mais tarde seu tio Yossef !!! Assim o Criador protegeu a primeira judia exilada do mundo!!!!

Diná só veria novamente sua filha anos mais tarde, quando sua família toda é levada ao Egito por convite de Yossef, que agora é o ”Grão-Vizir” do Egito, descobrindo que ela casara com o tio Yossef, voltando assim para o seio da família de Israel.

 

FINAL FELIZ PARA DINÁ:

Depois do trágico incidente de Shichém, Diná foi ”casada” com seu irmão Shimon por 13 anos (naquele tempo antes da entrega das Leis da Torá, ainda era permitido que em certos casos, irmãos casar-se entre si, porém logo após a Entrega da Torá, passou ser terminantemente proibido tal), tendo um filho chamado Shaul ben HaCaananit,  cujo nome ainda lembrava o incidente vergonhoso. Logo após a chegada da família de Yaakov ao Egito, Diná ela se divorciou de Shimon e se casou Iyov (JÓ), o Tzadik A”H, que mais tarde seria um dos conselheiros reais do Faraó que salvou a vida de Moshé Rabênu A”H enquanto este era criança  e mais tarde foi embora do Egito, passando por toda uma série de provações para provar que era um Tzadik completo, tendo seu nome eternizado no LIVRO DE YIOV  no Tanach! Mas isto é outra história…

Tumba de Dina Bat Yaakov A"H junto de seus irmãos Shimon e Levi A"H, Monte Arbel- Israel.
Tumba de Dina Bat Yaakov A”H junto de seus irmãos Shimon e Levi A”H, Monte Arbel- Israel.

Diná Bat Yaakov ve Leah A”H foi enterrada na Terra Santa, na cidade de Arbel, junto com seus irmãos Shimon e Levi A”H.

Que os méritos de Diná protejam todo Israel e em  todas as mulheres, Amén!!!

 

 

https://portaljudaico.com.br/vendoo/uploads/2017/02/dinah.jpghttps://portaljudaico.com.br/vendoo/uploads/2017/02/dinah-150x150.jpgDiogo Hara ClaroMULHERES DO TANACHRELIGIÃODiná,Dina bat Yaakov,Egito,Leah,Mulheres Bíblicas,Rachel Imenu,TORÁ,Yossef  Seguindo pelo hall das Mulheres do Tanach, chegamos hoje até DINÁ BAT YAAKOV AVINU A''H, cuja história é rapidamente contada na Parashat Vaishlach ( Bereshit 34 ). Podemos perceber pelo incidente trágico que se abateu na família do Patriarca Yaakov que o Criador na verdade estava preparando o caminho...Comunidade Judaica Paulistana