hamburguer do gremiocantina palestraOlá pessoal. fiquei com fome antes do horário do post e resolvi antecipar minha publicação. Ai vai.

Mais que restaurantes dos times, uma aproximação maior com os torcedores

Buscando novas formas de rentabilizar suas marcas, times investem em franquias de alimentação e ampliam estratégias de licenciamento.

Não bastar ir ao estádio, torcer e chorar junto com time do coração. Em um período onde a conexão emocional é muito valorizada pelo marketing, a conquista do torcedor e do simpatizante passa necessariamente pelo bolso. Por isto, times têm ampliado seus negócios de licenciamento para muito além de patrocínios e ações em campo. E uma das alternativas é atrair o torcedor pelo estômago.

O Corinthians anunciou o lançamento de sua franquia de pubs St. George, em parceria com a operadora SportFood. A empresa surgiu há cinco anos, fruto de uma consultoria de marketing esportivo e hoje tem 14 operações de franquias licenciadas para cinco times.
A primeira operação da SportFood para um time foi inaugurada em 2014 para o Grêmio: a Hamburgueria 1903. Hoje, a franquia têm cinco operações em Porto Alegre Antigamente, os indicadores de sucesso eram apenas aqueles mais clássicos como número de sócios, receita do patrocínio master e contrato de televisionamento. O importante é entender que o torcedor de futebol quer contato com o seu clube do coração não apenas durante aqueles 90 minutos da partida, mas em vários momentos do dia-a-dia”
Toda arquitetura, cardápio e decoração são pensados em conjunto com os departamentos de marketing dos clubes. O Palmeiras, por exemplo, aproveitou sua origem italiana e criou a Cantina Palestra, que fica em um imóvel tombado em frente ao Allianz Parque, em São Paulo. Já o Corinthians vai aproveitar sua tradição inglesa para a abertura dos pubs.
A estratégia permite inclusive ganhar adesão entre torcedores de outros clubes. Beto Carvalho, gerente de marketing do Grêmio, conta que, do total de vendas da hamburgueria, 25% dos consumidores se identificam com outros clubes que não o Grêmio.

Times também têm avaliado novas possibilidades de licenciamento, desde os produtos mais óbvios, como bonés e canecas, até escolas e espetos de churrasco. Para o Palmeiras, a base de 120 mil sócios cadastrados no sistema “Avanti” e as 610 mil pessoas cadastradas em seu CRM (Consumer Relashionship Management) garantem dados para entender melhor os desejos do palmeirense. O time conta com mais de 40 empresas licenciadoras e 600 produtos, e este ano deve faturar cerca de R$ 6 milhões com licenciamentos.
“É uma disputa grande e o Brasil ainda não tem times entre os 20 maiores do mundo; A disputa hoje é global e não fica restrita ao regional: times internacionais também invadem o mercado brasileiro, porque futebol não é só futebol, é entretenimento e por isso entra em diversas ocasiões de consumo”, diz Roberto Trinas, gerente de marketing do Palmeiras. Para ele, a tendência é que times aumentem suas opções para rentabilizar a marca, inclusive com expansão para outros mercados além de suas regiões e internacionalização.

https://portaljudaico.com.br/vendoo/uploads/2017/03/Cantina-Palestra-1.jpghttps://portaljudaico.com.br/vendoo/uploads/2017/03/Cantina-Palestra-1-150x150.jpgMarcos FarberMARKETING ESPORTIVOOlá pessoal. fiquei com fome antes do horário do post e resolvi antecipar minha publicação. Ai vai. Mais que restaurantes dos times, uma aproximação maior com os torcedores Buscando novas formas de rentabilizar suas marcas, times investem em franquias de alimentação e ampliam estratégias de licenciamento. Não bastar ir ao estádio, torcer...Comunidade Judaica Paulistana