PINCHAS SCHEINBERG

Uma história é contada sobre o Gaon de Vilna ZTZK”L – um dos maiores Rabis dos últimos 500 anos – que estava deitado no seu leito de morte e começou a chorar.Ele segurou seu tzitzit perto de seu coração e lamentou: “Neste mundo, podemos alcançar grandes riquezas com cada mitzvá. Mas onde eu vou, eu não posso mais usar tzitzit!”

Citamos esta pequena história pois ela é intimamente ligada ao Tzadik que cuja vida santa inspirou muitos judeus ao redor do mundo a melhorarem e prezarem pela mitzvá dos Tzitzit: RABI PINCHAS SCHEINBERG ZTZK”L

Rav Scheinberg nasceu em Ostrov, na Polônia, o segundo filho de Rabi Yaakov Yitzchok Scheinberg ZTZK”L Yuspa Tamback (Yosefa) ZTZ”L . Ele nasceu na ausência de seu pai, como no início daquele ano, seu pai tinha deixado sua esposa e primogênito filho, Avraham Nosson, para ir para a América para evitar o recrutamento para o exército polonês . Embora ele planejava trabalhar e enviar dinheiro de volta para casa, seu pai foi despedido de trabalho porque se recusou a trabalhar no Shabat . Logo ele não tinha dinheiro suficiente para alugar um quarto e passou meses dormindo na East River Drive de Nova York com um travesseiro, um cobertor e um guarda-chuva. Enquanto isso, sua mãe, que tinha se mudado com seus pais, também lutou para fazer face às despesas, vacas de ordenha ao amanhecer para os agricultores poloneses. Com a eclosão da Primeira Guerra Mundial em 1914, a família perdeu o contato. Em 1919, o patriarca da família tinha economizado bastante dinheiro para abrir sua própria loja de alfaiate e trouxe sua esposa e filhos para a América.

Aos 9 anos, o jovem Rav Scheinberg mudou-se com a família para um pequeno apartamento no Lower East Side , onde sua mãe deu à luz gêmeos, Shmuel e Chana Baila. Scheinberg matriculou-se na Rabi Jacob Joseph School(RJJ), onde estudou até os 14 anos.

Naquela época, Rabi Yaakov Yosef Herman , que influenciou jovens judeus promissores em Nova York para  avanço em seu aprendizado de Torá , o encorajou a se transferir para o Beis Medrash LeRabbonim Yeshive, do Rabi Yehuda Levenberg ZTZK”L em New Haven, Connecticut , onde não se ensinavam assuntos seculares . Herman também decidiu que o jovem seria um bom marido para sua terceira filha, Bessie, que tinha então apenas 12 anos de idade. Rabi Scheinberg já era um estudioso brilhante e diligente que completou todo o Talmud aos 16 anos.

Aos 17 anos, Rabi Scheinberg progrediu para o Rabi Isaac Elchanan Theological Seminary (RIETS) da Yeshivah University.Lá ele estudou sob Rabinos Shlomo Polachek ZTZK”L ( conhecido como o “Meitcheter Ilui”) e Rabi Moshe Soloveichik “ZTZK”L. Seus parceiros de aprendizado incluíram:  Rabi Avigdor Miller ZTZK”L, Rabi Moshé Bick ZTZK”L, Rabi Mordechai Gifter ZTZK”L e Rabi Nosson Meir Wachtfogel ZTZK”L, futuros líderes da comunidade judia americana.

Quando Scheinberg tinha 19 anos, Herman sugeriu o jogo com sua filha de 17 anos e os Scheinberg concordaram. Rabi Boruch Ber Leibowitz ZTZK”L , que era um convidado na casa de Herman naquela época, escreveu a ”Ketubá” –  contrato de noivado. A sugestão de sua mãe, Scheinberg estudou para a Semichá – ordenação rabínica, nos meses antes de seu casamento . Ele foi ordenado pelo Rabi Moshe Soloveitchik ZTZK”L, Rabino Dr. Bernard Revel ZTZK”L e outros rabinos da Yeshivá antes de sua cerimônia de casamento.

Depois de seu casamento aos 19 anos, o jovem casal viajou pelo oceano – das riquezas materiais da América ao estilo de vida empobrecido da Polônia rural – para que o Rabi Scheinberg pudesse mergulhar na elevada erudição da  Yeshivat Mir. Foi esta devoção inabalável ao estudo da Torá que impulsionou Rabi Scheinberg para um papel de liderança ao longo da vida.

As duas primeiras filhas do  Rabi Scheinberg, Fruma Rochel e Rivka, nasceram na Polônia. Quando esperavam seu primeiro filho, Rabi Scheinberg e sua esposa visitaram o Tzadik Rabi Yisrael Meir Kagan ZTZK”L (o ”Chafetz Chaim”), para receber sua bênção. Quando Scheinberg pediu ao Chafetz Chaim uma bênção adicional, já que ele viera da América para estudar em Mir, o Chafetz Chaim brincou: ” Moshe Rabenu desceu todo o caminho do céu para ensinar aos judeus a Torá . Vindo da América para a Europa ?! “

Então ele os abençoou.

Enquanto na Europa, Rabi Scheinberg também aprendeu na Yeshivas Kaminetz e recebeu a ordenação rabínica do Rabi Boruch Ber Leibowitz ZTZK”L.

Em 1935, Rabi Scheinberg e família retornaram à América porque sua cidadania americana teria expirado depois de mais de cinco anos no exterior. Logo após seu retorno, Rabi Scheinberg foi oferecido a posição de ”Mashgiach Ruchani” (supervisor espiritual) da Yeshivas Chofetz Chaim em Queens fundada pelo Rabi Dovid Leibowitz ZTZK”L . Ele serviu nessa posição por 25 anos até sair para abrir sua própria Yeshivas  Torah Ohr.  Rabi Scheinberg era conhecido pela relação calorosa e cuidadosa que ele desenvolveu com seus alunos e pelas gentilezas que ele e sua esposa fizeram por vizinhos e visitantes Em seu pequeno apartamento. Muitas vezes, suas filhas dormiam duas horas numa cama para abrir espaço para convidados inesperados. Durante este tempo, Rabi Scheinberg também se tornou o Rav da Bakash Shalom Anshei Ostrov Congregation no Lower East Side, onde ele ministrava palestras para os trabalhadores.

O Rabi Scheinberg e esposa tinham mais duas filhas, Chana e Zelda, e um filho, Simcha, em Nova York. Eles também adotaram Rivky Kaufman, uma das sete órfãs da irmã de Bessie Freida, após a morte súbita do último em 1938. 

Com a ajuda e encorajamento de seu irmão, Rabi Shmuel Scheinberg ZTZK”L, e seu genro, o Rav Chaim Dov Altusky (marido de Fruma Rochel), Rabi Scheinberg abriu a Yeshivas   Torah Ohr na seção de Bensonhurst de Brooklyn em 1960. A Yeshivá abriu com apenas seis estudantes e cresceu firmemente, registrando muitos meninos Sefaradim locais que foram atraídos pelo conhecimento de Torah do Rabi Scheinberg e seu  calor. Os Scheinberg trataram seus alunos como seus próprios filhos, levantando dinheiro para casá-los e até mesmo pagar suas contas de dentista.

RABI SCHEINBERG VAI PARA ISRAEL:

Em 1963, a irmã de Bessie, Ruchoma, visitou seu pai em Israel e visitou uma plantação Haredi planejada no norte de Jerusalém, chamada Kiryat Mattersdorf , fundada pelo Rabi Shmuel Ehrenfeld ZTZK”L , o ”Rav Mattersdorfer”, vizinho de Ruchoma em Nova York. Em seu retorno, Ruchoma disse a Bessie sobre seu desejo de comprar um apartamento lá, e Bessie igualmente expressou o interesse em comprar um apartamento. Embora Scheinberg estivesse cético sobre relocar sua família e seu Yeshivá  da América a Israel, fez uma viagem piloto para excursionar o desenvolvimento e decidiu que poderia trabalhar. O filho de Ehrenfeld, Rabi Akiva Ehrenfeld , que era seu representante na supervisão da construção e venda dos apartamentos, encorajou Rabi Scheinberg a mudar sua Yeshivá para Jerusalém.  

Assim, Rabi Scheinberg transfere toda sua família e Yeshivá para Terra Santa, levando todos seus alunos para Jerusalém. Desde 1960 até 2011, sua Yeshivá serviu como Luminar da comunidade americana na Terra Santa. Chegando a contar com mais de 800 alunos matriculados.

A casa do Rabi Scheinberg tornou-se um endereço central para os americanos em Israel que procuram orientação para criar filhos, encontrar um bairro para viver, encontrar cônjuges e lidar com questões médicas, bem como regular questões de Halachá. Ele era totalmente acessível ao público, sem guarda-costas: 24 horas, 7 dias da semana.

A Rebetzin Bessie, que estava com problemas de saúde há anos, se juntou ao Criador em  21 de Outubro de 2009 aos 96 anos de idade. Foram casados há 79 anos e meio.

Mesmo em seus últimos anos, Rabi Scheinberg continuou a voar no exterior  para levantar fundos para  Yeshivá e levar Torá e bênçãos às comunidades ao redor do mundo. Ele sempre levou consigo o tratado  Nidá e tentou aprender as 72 páginas foliadas durante o vôo!

Ele era conhecido por nunca perder um minuto, usando todo tempo que ele passava caminhando ou dirigindo para Yeshivá imerso no estudo da Torá. De acordo com seu motorista, Asa Wittow, ele sempre se sentou com um livro de Torá na frente dele, mesmo em um casamento, levava um ”Mishnah Berurah”  para ler,  também na prateleira acima de sua pia da cozinha enquanto ele lavava pratos!

Ainda nos deixou inúmeras obras santas: ”Derech Emunah U-Bitachon”, ”Shiurei Rebe Chaim Pinchas”, ”Netivot Chaim”, ”Tabaas HaChoshen”, entre outras sobre todos os temas cruciais para vida prática judaica.

Mas qual motivo de no início citarmos a história do Gaon de Vilna ZTZK”L sobre Tzitzit?

Porque Rabi Scheinberg era conhecido por usar dezenas de pares de tzitzit de uma vez. (No passado ele usava aproximadamente 150 pares, mas em anos posteriores, 70 pares). Alguns dizem que ele usou tantos depois de ter feito um voto de fazê-lo quando um de seus filhos ficou muito doente. Mas quando perguntado, Rabi Scheinberg disse que ele usava tantos pares porque ”cada um é uma Mitzvá!!!”

Rabi Scheinberg ZTZK”L nos deixou em 10 de março de 2012 – 27 de Adar de 5772, depois de ter complicações vasculares. Seu funeral foi o segundo maior da história de Israel, somente superado pelo funeral do Rabi OVADIA YOSSEF ZTZK”L. Foi juntado aos Tzadikim no Har HaZeitim, em Jerusalém.

QUE OS MÉRITOS SANTOS DO TZADIK RABI PINCHAS SCHEINBERG ZTZK”L PROTEJAM TODO POVO DE ISRAEL, AMÉN!!!

 

https://portaljudaico.com.br/vendoo/uploads/2017/03/PINCHAS-SCHEINBERG.jpghttps://portaljudaico.com.br/vendoo/uploads/2017/03/PINCHAS-SCHEINBERG-150x150.jpgDiogo Hara ClaroGRANDES SÁBIOSRELIGIÃOAshkenazi,Chafetz Chaim,Mir,Polônia,Rabi Pinchas Scheinberg,TORÁ,Tzadik,Tzitzit,Vilna,YeshiváUma história é contada sobre o Gaon de Vilna ZTZK'L - um dos maiores Rabis dos últimos 500 anos - que estava deitado no seu leito de morte e começou a chorar.Ele segurou seu tzitzit perto de seu coração e lamentou: 'Neste mundo, podemos alcançar grandes riquezas com cada...Comunidade Judaica Paulistana